domingo, 29 de março de 2020

{#FiqueBem!}



estou na quarentena, trabalhando home office, e louca pra escrever aqui, mas fiquei relutando muito....

não sabia se queria escrever algo sobre a quarentena, a politica, a desigualdade, o corona, ou se simplesmente seguia e aparecia aqui fingindo que está tudo normal...

o blog sempre foi pra mim um diário, um lugar pra eu registrar coisas que eu vou querer lembrar daqui muito tempo, seja ela uma dica que sempre dá certo aqui, um momento, uma comprinha, um dia, um pensamento, um texto... acho que um momento tão marcante e delicado como esse nao poderia simplesmente passar despercebido.

confesso que quando tudo começou também pensei que seria só uma gripinha, e também ria dos memes e achava tudo muito exagerado, até que o vírus começou a se espalhar, o fluxo de pessoas no metrô começou a diminuir, os locais em volta do meu trabalho começaram a fechar, e o único lugar aberto, o supermercado, estava com medidas de proteção que realmente fez cair a ficha de que a coisa era séria.

então a graça dos memes acabou, o panico a minha volta começou a me atingir e começou a virar meu panico também, eu comecei a me colocar no lugar dos outros, e ver a realidade dos outros e me afligiu muito.

até que a empresa nos liberou para trabalhar home office, e por nao ver mais outras realidades, comecei a me voltar só para o meu umbigo, fiquei tranquila, achei que tudo estava resolvido, afinal estou a salvo não é mesmo?

subindo a hashtag fique em casa, sem ao menos pensar no panico que aqueles que não tem o privilégio de ficar em casa e muitas vezes estão na linha de frente estavam sentindo. me entristeci por ser tão egoista. não, o problema não é o #fiqueemcasa até porque continuei postando, mas era o meu coração, ele estava numa bolha e tinha se esquecido do quao aflito ele esteve alguns dias atrás quando se deparou com a situação do próximo. 

pedi perdão a Deus pela minha falta de equilibrio, dei um reset, e aqui estou eu tentando de novo viver mais uma semana de uma forma melhor, sem pânico, sem me desesperar, sem acompanhar todas as noticias, mas também sem achar que está tudo bem, e está todo mundo em casa feliz e contente, protegido, sem medo do amanha, com as contas pagas e salarios caindo na conta, pois infelizmente não é assim.

estamos sim vivendo um momento caotico, que só está nos mostrando o quão frageis e impotentes somos. mas, mais importante do que o momento que estamos passando é a escolha de COMO VAMOS VIVER ESSE MOMENTO, podemos nos desesperar ou ser egoistas ou podemos pedir a Deus o equilibrio, para termos empatia, nos colocar no lugar do outro, orar pela nossa nação, orar por aqueles que precisam sair de suas casas, orar por aqueles que não tem casas e estão expostos, por aqueles que estão com suspeitas, e aqueles que já contrairam o vírus. os autonomos que estão desesperados com as contas, os assalariados que estao com medo de perder seus empregos, e tudo isso sem entrar em panico, sem desanimar, guardando a nossa fé, crendo que logo isso vai passar, fazendo nossa parte, passando alcool em gel, nos alimentando bem... sera facil? claro que não! fiz questão de contar a experiencia que tive, indo de um extremo ao outro exatamente pra que esse texto não pareça ser um manual escrito por uma pessoa perfeita e plena que está tirando tudo de letra, pois não é o caso! 

se você tem condições de ficar em casa e isso nao prejudicará sua familia #FiqueEmCasa, mas caso você não tenha condições e precisa continuar trabalhando #FiqueAtento, se cuide! mas independente de estar em casa ou trabalhando o que eu desejo de verdade é que Deus te dê o equilibrio, a paz, o amor, a calma, a força que você precisa, e por mais que nao seja fácil (e não vai ser ) que voce #FiqueBem! 

um super beijo & uma boa semana,

Tety

domingo, 15 de março de 2020

{seja feliz com o que você tem hoje!}



sábado, poderia ser mais de um na semana não poderia?

acordamos tarde, encasquetei que queria um bruch, comecei a pesquisar padarias que serviam aqui na minha regiao e, para minha surpresa (ironicamente falando), não achei nenhuma.

decidi então pesquisar coisas para montar meu proprio brunch, peguei algumas inspirações, sai andando pelo bairro e consegui montar um que foi bem especial.

venho de uma familia muito simples e isso nunca foi um problema pra mim, desde criança sempre gostei de coisas que não eram muito acessíveis pra mim, ora pelo preço, ora por nao ter na minha regiao, ora por ser coisas que só existiam na minha cabeça ou em filmes da disney mesmo, mas sempre fui incentivada pelos meus pais a customizar, lembro como se fosse hoje que no ginásio (me sentindo velha por essa expressão kk) queria muito uma caneta de plumas, e naquela época nao era uma coisa fácil de achar, então minha mae fez uma pra mim, com fita de cetim e aquelas plumas de festa mesmo, cheguei na escola toda feliz! recentemente queria muito uma bandeja de madeira, mas o preço também nao era dos mais legais e minha tia me deu uma gaveta, linda por sinal, bem fina que ninguem fala que não é uma bandeja e que coloquei todos os meus condimentos lá e até hoje é um dos cantinho que mais amo na minha cozinha!

mas o que quero dizer pra você com todo esse texto é: seja feliz com o que você tem hoje! pode ser que talvez você não tenha condições de ir para as maldivas, mas vá para bertioga e seja feliz! pode ser que você nao consiga ter o casamento dos sonhos na praia, alugue um sitio, ou então case-se somente no civil e seja feliz! ou assim como eu, talvez voce nao tenha na sua regiao uma padaria que sirva um brunch legal, então compre as coisas, faça você mesmo e seja feliz!

lá na frente você vai perceber que o mais importante não eram as coisas, lugares, bens, e sim o momento, as risadas, as pessoas, os sentimentos, esses sim, tesouros que ficarão guardados para sempre e que a traça nao pode corroer nem o ladrão roubar <3

uma boa semana, beijos,

Tety

domingo, 1 de março de 2020

colocando um projeto em prática


se você leu esse post AQUI vai lembrar que um dos tópicos da minha lista de 30 antes dos 30 era revelar minhas fotos e montar albuns de familia.

preciso dizer que estou muito orgulhosa de mim mesma, pois essa semana que passou consegui começar a colocar esse projeto em prática!

estava passeando pelo instagram e vi uma promoção no site Phooto Brasil, onde para revelar 100 fotos saía R$29,90, o mais engraçado é que na mesma semana tinha visto aqui no meu bairro por R$1,00 cada foto, então nem pensei duas vezes, aproveitei o feriadao pra separar as fotos e enviar pro site.

preciso dizer que minha experiencia foi maravilhosa, é super fácil e rapido subir as fotos para o site, mesmo com o valor do frete (18 e pouquinho pra mim), ainda super compensou o preço, a entrega foi super rapida (pedi na segunda e chegou na sexta da mesma semana) a qualidade da revelaçao é muito boa, nao é só uma impressao de foto, é revelação mesmo, parece as fotos antigas <3 sem contar que veio super bem embaladinho nessa caixinha fofa.

eu amei e recomendo, e já estou me organizando pra revelar mais fotos. além de ser super gostoso ter as fotos impressas, é pra mim, a forma mais segura de guardar, minha mae mesmo já perdeu mais de 1000 fotos num bug que o computador deu, e tinha fotos muito antigas do meu irmao bebê, que foram perdidas para sempre :(

agora to começando a namorar albuns bonitos né, pra deixar tudo padronizado e bem vintage... será que ainda vende aquelas figurinhas que a gente colava por cima das fotos? rs.

estava morrendo de saudades de escrever por aqui, prometo tentar ficar mais presente!

um super beijo, fiquem com Deus!

Tety